domingo, 21 de dezembro de 2008

O velho rabujento! (Parte 2)




Cruzando a esquina, algo lhe despertou a atenção...

(Final da parte 1)

... ele viu, ali na esquina, uma família de rua, sujos e magros, comemorando o natal com migalhas, restos de comida encontradas no lixo. Mesmo na situação em que estavam, comemoravam o natal.
Ele então se emocionou como a anos não se emocionava, aquela pobre família, tocou e amoleceu o coração daquele velho rabujento. Ele tinha tudo, um teto, comida e roupas limpas e ainda vivia resmungando. Dessa vez ele se questionou o porque da tristeza dele. Na verdade a mulher faleceu e como eles não tinham filhos ficou sozinho e amargurado, mas aquela situação fez ele repensar e ver que nada pode ser vivido a base de tristeza. Bartolomeu sentou na calçada a pouca distância deles, até que veio uma menininha de olhos tristes e disse:
- Moço, não quer se juntar a gente? - Ela o chamou segurando-lhe a mão. Ainda emocionado, vendo encontrado na situação irônica da vida, ele então perguntou:
- Porque invez de eu ir juntar-se a vocês, você não chama a sua família e vem jantar na minha casa? - Lisongeada e com um brilho especial no olhar, a garotinha chamou sua mãe, seu pai, e seus quatro irmãos e todos foram com seu Bartolomeu. Não era uma ceia pois ele não havia preparado, mas concerteza uma coisa bem melhor do que estavam acostumados.
Foi assim que Bartolomeu passou o seu Natal, não abrigara aquela família na sua casa porque não tinha como. Mas todo dia quando ia pra praça, fazer compras no supermercado ou ir no armarinho, Bartolomeu passava pela esquina e levava quentinha para aquela família amiga.
A partir daquele dia, o velho rabujento era outra pessoa, tirara a última palavra e ficava-lhe só: o velho.
E assim, vendo aquela família tomada pelo espírito de natal, ele finalmente encontrou o seu significado. Melhor, encontrou o significado que faz valer a pena ser feliz.
Desejo a todos: UM FELIZ NATAL!!
E quem não encontrou a verdadeira felicidade, não faça como seu Bartolomeu que ficou amargurado dentro de um casarão velho, e sim, vá a procura.

E ai? O que acaharam? Sejam sinceros e comentem.

11 comentários:

Liiss! disse...

Que históriia liiindaa ! Ameiii ! Ficoo muiiitoo show ! beiijoo

Biia disse...

Quequel amei essa historia !

muito linda !

Lorena Lais disse...

CARA que perfeitoo!
linda demais a história Quequeel! *-*
ameei♥

Thainá Vivas disse...

Eu fui a procura e já encontrei minha felicidade, hehehe! xD
Feliz Natal pra ti tb!! =)

Obrigada pela visita!
Bjs!!

Ester - Thalita Rebouças Forever disse...

Quel, o que é esse negócio de selo??
Me explica??
vlw!
bjooo

Mayana Carvalho.♥ disse...

Seu conto ficou
M A R A V I L H O S O !

aMEI!
Beijos e um feliz natal pra você cheio de amor e muitas coisas especiais.

Duuh!. disse...

ah parabéns, muito legal a historia. meiga! =D

beeijos

Quel Oliveira disse...

Ester:

Deixa eu te explicar:


Não tem selos que botam em cartas quando mandam pro correio?
Então, é a mesma coisa só que em forma de "presente" e circula na net (em blogs).
Tem selos que elogia teu blog, que o premia e etc. Dependendo das regras de cada um você manda pra 5, 10, 15 pessoas. Ai você tem que ver.

Entendeu?

Quel Oliveira disse...

Meninas (geral, todas):

Gostou mesmo? Que bom, fico feliz ;D
Agora só para o ano, ou outra data especial como essa.

Beijão pra todas e UM FELIZ NATAL RECHEADO DE COISAS BOAS!!!

Mayana Carvalho.♥ disse...

Brigadaa! um feliz natal para você cheio de amor e paz!! Dá uma passadinha amanha no meu blog!
Deixarei um desafio pra você!

Beijos

Marcella *-* disse...

Amei!