quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Cadê você.


Espero por seu beijo. Sentada no sofá, desejando que você passe por aquela porta. Volta, baby.
Vamos fazer loucuras enquanto estamos deitados no meu quarto. Porque ultimamente você é a
brisa da tarde que passa por minha nuca e me faz arrepiar. Mas não posso vê-lo.
Então sai dessa coisa leve e se transforma num furacão. Pronto pra me arrebatar.

Raquel Hora

3 comentários:

Patriny Marcelle disse...

Nossa que profundo em "baby" rsrs.
bjokinhas

Luan Fernando disse...

Gostei, um paixão bem intensa e profunda.

Duanny!. disse...

Super sensual.. amei!

;)